Category Archives: Uncategorized

20 anos de “Google”

doodle-google-20-anos

O Google fez 20 anos no dia 27 de setembro de 2018

Por ocasião da comemoração do 20º aniversário, quisemos saber qual a importância do Google na vida dos jovens. Lançamos a questão “Como seria viver sem o Google?” na Biblioteca da Escola Secundária da Gafanha da Nazaré, a um grupo aleatório de alunos, todos nascidos depois do “aniversariante”.

As respostas foram as seguintes:

Muito mal, não conseguiria.

O Google não tem muita importância. Eu viveria normalmente só que sem ligações e pesquisas.

Sem o Google não saberia quase nada, já que é no Google que pesquiso quando não sei alguma coisa.

Viver sem o Google seria muito difícil pois todos os dias o uso.

Apesar de ser mais difícil obter informação não haveria problema.

Viver sem o Google seria difícil.

Seria impossível fazer uma apresentação oral numa semana.

Viver sem Google? O que seria? Não sei. Não sei viver sem o Google.

Teríamos o Safari.

Uma vida sem Google seria como uma biblioteca sem livros catalogados.

Viver sem o Google seria uma “missão impossível” porque hoje em dia as pessoas utilizam o Google para ver vídeos, fotos, ir a sites, como facebook, instagram, …  No meu caso não aguentaria um dia sem o Google.

Seria igual.

Viver seria difícil sem o Google.

Eu ficaria na mesma.

Ficaria sem muita informação necessária para a minha vida.

O Google tem muita importância na minha vida, os meus trabalhos não se fazem sozinhos.  Por isso é que lhes dei os parabéns no Snapchat.

Sem o Google não teria tanta informação.

Eu viveria sem o Google porque existem outros  motores de busca, como por exemplo o Bing, porém o Google é o melhor motor de busca que alguma vez vi.

Viver sem o Google seria difícil, não teria o jogo do dinossaurinho, que tira o meu tédio quando não tenho internet.

Para mim o Google é muito importante visto que contém todas as informações que se estivessem em papel ocupariam muito espaço e seria difícil encontrar. Sem ele não tínhamos tantas informações nem tantos conhecimentos como temos hoje.

A minha vida seria perfeitamente normal porque as aplicações não precisam ser pesquisadas no Google é o necessário.

Eu acho que não viveria sem o Google porque preciso fazer trabalhos e de pesquisar coisas que não há nos livros.

Seria complicado viver sem o Google pois qualquer dúvida que tenhamos podemos tirar através do telemóvel e isso facilita muito.

Sem o Google continuaria uma vida normal mas um pouco mais difícil para conseguir pesquisar e obter informações, contudo quero que continue a existir.

Se não houvesse Google tínhamos as enciclopédias.

Sem o Google, no futuro, não saberíamos nada porque é lá que está a informação sobre o nosso planeta. Sem o Google perdiam-se os conhecimentos.

Sem o Google não poderia fazer as minhas pesquisas para trabalhos da escola e não poderia ver fotos fofas de animais.

Se não houvesse Google teríamos de usar outros motores de busca.

A minha vida sem o Google não seria nada, não podia estudar, falar com os amigos, etc.

Sem o Google a minha vida não acabava como muitas pessoas pensam. Será assim tão importante? Não digo que não seja mas há vinte anos as pessoas também viviam. Sem o Google procuraria a informação em livros. Confesso, o Google ajuda-nos muito na nossa vida!!!

Sem o Google eu não saberia de muitas coisas, pois quando não entendo algum trabalho de casa procuro no Google.

Para mim viver sem o Google poderia ser difícil, teríamos que ir buscar a informação aos livros que era muito chato e no Google é mais rápido.

Se não houvesse Google usava livros.

Viver sem o Google não me faria quase nenhuma diferença pois o acesso à internet ficaria igual.

Acho que até dava para viver razoavelmente bem porque também há livros.

Se não houvesse Google era impossível viver hoje em dia porque usamos a internet para quase tudo, estudar, pesquisar e lazer.

Viver sem o Google seria um fator negativo pois não podíamos pesquisar e aprender com tanta facilidade porque o Google permite pesquisar tudo. Por outro lado os milhões de crianças que passam várias horas no Google poderiam aproveitar mais a vida ao ar livre.

Respostas para todos os gostos. E tu, o que achas?

 

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under Atividades, biblioteca em ação, Uncategorized

Recomeça…

Recomeçar

Recomeça…

Recomeça…
Se puderes,
Sem angústia e sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro,
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
Vai colhendo
Ilusões sucessivas no pomar
E vendo
Acordado,
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças.

Miguel Torga, Diário XIII

Bom ano letivo

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized

Encontro com… a escritora Maria João Lopo de Carvalho

Maria João Lopo Carvalho

No dia 9 de Fevereiro, com o objetivo de incentivar o gosto pela leitura, as professoras bibliotecárias do agrupamento proporcionaram um encontro com a escritora Maria João Lopo de Carvalho, que se deslocou à escola, e nas duas sessões cativou alunos e professores com a sua maneira de falar e de dar vida a algumas histórias das suas obras, incluindo alguns dos espetadores nas dramatizações.

Cada sessão começou com perguntas colocadas pelos alunos, acerca das obras ou da vida da autora.

Filha de escritor, torna-se também escritora por sempre ter vivido rodeada de escritores, e é como professora de inglês que segue as pegadas da mãe. Os cerca de 5000 livros que o pai tinha em casa influenciaram-na no gosto pela leitura e pela escrita.

A escritora que, inicialmente, escrevia sozinha, agora faz parceria com Margarida Fonseca Santos e confessa que se tornaram amigas inseparáveis.

Escreve porque a imaginação lho permite, mas nunca começa um livro sem acabar o que tem em mãos e acredita que, se estimulado, o cérebro desenvolve a imaginação se houver uma ginástica mental diária no ginásio chamado biblioteca. Não sabe dizer se gosta mais de escrever literatura infanto-juvenil ou literatura para adultos e acrescenta “não se pergunta a alguém se gosta mais do pai ou da mãe”.

No final de cada sessão, os livros adquiridos a preço de feira, na biblioteca escolar, foram autografados pela escritora e era visível a satisfação dos alunos por terem conhecido a autora, que se mostrou uma grande e divertida comunicadora.

Paula Bizarro, Assistente Operacional da BE da EB da Gafanha da Nazaré

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized

Boas festas

A equipa das Bibliotecas Escolares da Gafanha da Nazaré deseja a toda a comunidade escolar Boas Festas e boas leituras.

Aproveitamos para lembrar que a feira do livro estará aberta até ao dia 22. Uma oportunidade para oferecer, a si próprio ou a alguém querido, uma prenda que vale mais do que o que custa.

árvore de Natal

Árvore de Natal feita com livros da Biblioteca.

Deixe um comentário

Filed under Atividades, Uncategorized

Maria João Lopo de Carvalho

 Bib-10-2014-33

Biografia

Nascida em 1962, em Lisboa, licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas, pela Fa culdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, em 1985.

Foi professora no Ensino Básico e Secundário, entre 1985 e 1989 e, novamente, de 1992 a 1995. Em 1989 fundou a Know How, dedicada à edição de livros e ao ensino de inglês para crianças, entre outras atividades para escolas públicas e privadas, em regime extracurricular.

Foi também copy-righter na agência de publicidade McCann Erickson, de 1999 a 2001, assessora no Gabinete de Vereação da Educação e Acão Social do Município de Lisboa, de 2002 a 2005, e responsável pelos programas de solidariedade da Swatch, em 2004 e 2005 (Ajuda de Berço, Fundação do Gil, entre outros).

Em 2008 foi cofundadora da Know How Angola e da IPSS Know How – Aprende a Brincar, dedicada à Acão social. Responsável pelo Guia da Criança, diretório exaustivo de todas as atividades para crianças na cidade de Lisboa, em 1994 e 1995, publicou vários livros infantis — entre eles, O herói sou eu (2007), Que bicho te mordeu (2007) e A minha mãe é a melhor do Mundo (2005).

Os seus romances Acidentes de percurso (2001) e Virada do avesso (2000), ambos best-sellers, inscreveram o seu nome na literatura pop, tendo publicado depois Adopta-me (2004), onde aborda a pobreza infantil nos subúrbios de Lisboa. Estreou-se no romance histórico em 2011 com o best-seller Marquesa de Alorna.

Colaborou também com a imprensa, como cronista das revistas Pais & Filhos (1994), Xis (2000), GQ (2000-2001) e Vidas (2004) e nos jornais Expresso (2002) e Diário de Notícias (2004). Assina desde 2010 a rubrica «Na 1ª pessoa – sugestões de leitura» na Sic Mulher, programa Mais Mulher.

É filha do escritor neorrealista Fausto Lopo Caroça de Carvalho e neta do médico Fausto Lopo de Carvalho.

 

Bibliografia

  • 2000 – Virada do avesso

Bib-10-2014-30

  • 2001 – Acidentes de percurso

Bib-10-2014-31

  • 2004 – Adopta-me

Bib-10-2014-27

  • 2005 – Palavra de mulher

Bib-10-2014-22

  • 2006 – A minha mãe é a melhor do mundo

Bib-10-2014-29

  • 2006 – Bons garfos, más línguas
  • 2007 – Que bicho te mordeu?
  • 2007 – A princesa que eu sou
  • 2007 – Eu tenho superpoderes
  • 2007 – O dia dos meus anos
  • 2007 – Sou um campeão
  • 2007 – O melhor Natal do mundo
  • 2009 – Bebé XXS
  • 2009 – Animais à solta
  • 2009 – Um menino diferente
  • 2009 – Salpicos I, II, III e IV: Manuais de Aprendizagem de Português para crianças estrangeiras (3 aos 12 anos)
  • 2009 – Mariazinha – A contadora de histórias
  • 2009 – Coleção 7 Irmãos (em parceria com Margarida Fonseca Santos): Maria – Os segredos da irmã mais velha
  • 2009 – Coleção 7 Irmãos (em parceria com Margarida Fonseca Santos): Miguel nunca desiste
  • 2009 – Coleção 7 Irmãos (em parceria com Margarida Fonseca Santos): Mónica – A maria rapaz
  • 2010 – English is Fun I, II e III – Manuais escolares de inglês para o Ministério da Educação de Timor
  • 2010 – Coleção 7 Irmãos (em parceria com Margarida Fonseca Santos): Maria atravessa o Atlântico
  • 2010 – Coleção 7 Irmãos (em parceria com Margarida Fonseca Santos): Mariana e Manuel – Gémeos em sarilhos
  • 2011 – Coleção 7 Irmãos (em parceria com Margarida Fonseca Santos): Miguel contra-ataca
  • 2011 – Coleção 7 Irmãos (em parceria com Margarida Fonseca Santos): Os gémeos numa curva do caminho
  • 2011 – Marquesa de Alorna

Bib-10-2014-18

  • 2011 – Picante – Histórias que ardem na boca (em parceria com Alice Vieira, Catarina Fonseca, Leonor Xavier, Maria do Rosário Pedreira e Rita Ferro)

Bib-10-2014-26

  • 2012 – Coleção 7 Irmãos (em parceria com Margarida Fonseca Santos): Margarida muda de escola
  • 2012 – Coleção 7 Irmãos (em parceria com Margarida Fonseca Santos): Uma família fantástica
  • 2012 – Coleção 7 Irmãos (em parceria com Margarida Fonseca Santos): E agora, Rafa?
  • 2012 – Coleção 7 Irmãos (em parceria com Margarida Fonseca Santos): Sozinhos em casa
  • 2012 – As Cinco Quinas: A grande revelação
  • 2012 – As Cinco Quinas: O segredo do Conde da Faia
  • 2012 – As Cinco Quinas: Metidos em sarilhos
  • 2012 – As Cinco Quinas: O mistério da casa nº5
  • 2012 – As Cinco Quinas: Uma amizade suspeita
  • 2012 – As Cinco Quinas: Um colégio novo
  • 2013 – Coleção 7 Irmãos (em parceria com Margarida Fonseca Santos): A Madalena e eu
  • 2013 – Coleção 7 Irmãos (em parceria com Margarida Fonseca Santos): Mónica e Mariana – Irmãs e rivais   Bib-10-2014-28
  • 2013 – Padeira de Aljubarrota

Bib-10-2014-19

  • 2014 – O Meu Pai é o Melhor do Mundo

Bib-10-2014-24

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Filed under Autor do mês, Uncategorized

Poesia, música e teatro nas bibliotecas do AEGN

Depois da interrupção letiva da Páscoa, o 25 de abril serviu de mote às exposições que estiveram patentes nas duas bibliotecas: na biblioteca da ES, a exposição teve a cargo do grupo disciplinar de História e na EB 2,3 estiveram expostas fotografias emprestadas pela BMI.

No dia 30 de abril, na biblioteca da EB 2,3, houve “Cantorias de abril” e declamação de poesia. À noite, uma tertúlia de música e de poesia, que contou com a presença de elementos do Grupo Poético de Aveiro, fez recordar a época e as palavras que inspiraram a liberdade. A música esteve a cargo do Dr. Vieira da Silva, que cantou poemas da sua autoria, e do professor Rogério Fernandes, acompanhado pela professora Margarida Alves. No final, houve um momento de partilha de vivências, seguida de um “chá com cravos”.

Bib-5-2024

No dia 2 de maio, alguns alunos do nosso agrupamento participaram no Concurso Nacional de Leitura, fase distrital, em Oliveira do Bairro. Todos os participantes leram as obras selecionadas e representaram da melhor forma o agrupamento.

“Teatro e poesia de mãos dadas” foi o nome escolhido para a atividade apresentada na biblioteca da Escola Secundária, no dia da Escola Aberta, 9 de maio. Este espaço serviu de palco a duas dramatizações, “À conversa com Manuel António Pina” (5º A) e “A Arca do Não É” (7º F), e à declamação de poemas.

Bib-5-2024-3

Cecíla na Bib

Hoje, dia 16 de maio, na EB 2, 3, a propósito do Dia Internacional da Família, a biblioteca irá colaborar com EMRC numa atividade destinada a pais.

As professoras bibliotecárias

Deixe um comentário

Filed under Atividades, biblioteca em ação, Promoção da leitura, Uncategorized

Abril, leituras mil

No Dia Internacional do Livro Infantil, 2 de abril, a EB1 da Marinha Velha e a EB do Farol da Barra receberam a visita da escritora Maria da Conceição Vicente.

Maria da Conceição VicenteTodas as turmas dessas escolas tiveram, assim, a oportunidade de ouvir as suas histórias de literatura oral e tradicional e de contactar com os seus belos poemas de “cantarolar”. Foram momentos ricos de interação que os alunos vão, certamente, recordar.
No próximo dia 14 de maio, na biblioteca da Escola Secundária, esta escritora dinamizará um ateliê de escrita criativa, que terá como público-alvo alunos do 3º ciclo.
Depois da interrupção letiva da Páscoa, as comemorações continuam e o 25 de abril servirá de mote às próximas atividades. Nas duas bibliotecas (da ES e da EB 2,3) estão patentes exposições com material alusivo a esse momento tão notável da nossa história.

Bib10b

No dia 30 de abril, na biblioteca da EB 2,3, haverá “Cantorias de abril” e declamação de poesia. À noite, uma tertúlia de música e de poesia, que contará com a presença de elementos do Grupo Poético de Aveiro, fará recordar a época e as palavras que inspiraram a liberdade.
Em maio, no dia dois, teremos 9 alunos a participar no Concurso Nacional de Leitura, fase distrital. Seis são do 3º ciclo (três da Escola Secundária e três da Escola Básica 2,3) e três são alunos do ensino secundário. Todos os participantes encontram-se a ler as obras selecionadas e darão, certamente, o seu melhor.
Em maio, no dia nove, teremos o Dia da Escola Aberta. Várias atividades ocorrerão na biblioteca da Escola Secundária e sobre elas falaremos na próxima notícia.

As Professoras Bibliotecárias

Poemas de Maria da Conceição Vicente

 

Jogo da Cabra-Cega

– Cabra-cega, de onde vens?
– Do reino do posso e mando.
– No cesto, que trazes tu?
– Algemas, grades, mordaças,
para prender-te e calar-te,
já que tanto me ameaças.

– Cabra-cega, de onde vens?
– Da terra do mando eu.
– No cesto, que trazes tu?
– Jornais do norte e do sul;
Livros que leio e recolho
e mais um lápis azul.
É bom que meças palavras
ou ficas debaixo de olho.

– Corre, corre, cabra-cega,
corre para veres se me apanhas.
Como a venda que te pus,
com artes, tretas e manhas,
tapa os olhos e o juízo,
vais ter-me sem dares por ela,
debaixo do teu nariz:
vou fazer-te andar às voltas;
antes de me pores a mão,
farei o que sempre quis.

In Palavra Canção
Maria da Conceição Vicente

A voz dos cravos

Sou de um país onde os cravos são palavra
são arma, luta, canção

País numa flor inteiro
onde o vermelho foi dor
Hoje é voz, libertação

Este país é o meu
onde os cravos são palavra
dizem mar, azul e céu

Um abril em cada voz
uma flor por coração
batendo forte no peito
Ao ritmo de uma nação

Maria da Conceição Vicente

No tempo em que as paredes tinham ouvidos

Falava-se pela metade e só por palavras meias
as casas tinham orelhas, cada parede um ouvido
só o bom entendedor lhes percebia o sentido

Escrevia-se por enigmas para enganar os tiranos
com histórias tão inocentes como a da tal carochinha…
Bastava ler as metáforas, saber ler nas entrelinhas

Cantavam-se canções novas vestidas de roupa velha
embrulhava-se a mensagem em cantigas de embalar
para levarem recados onde tinham de chegar

Assim passou a palavra, levada de mão em mão
foi tamanha a sua força que derrubou as paredes
e fez a revolução

Maria da Conceição Vicente

Deixe um comentário

Filed under Atividades, biblioteca em ação, Promoção da leitura, Uncategorized